quinta-feira, 14 de abril de 2005

Estoril


Até parece que foi ontem...

3 comentários:

Anónimo disse...

Olá Pedro,
obrigado por me teres permitido ver essa imagem do colégio. Adorei o teu livro, mas devias ter contado mais coisas sobre o mal que as freiras nos nos fizeram. Acho que os gémeos também já morreram: um com sida e o outro com uma overdose.
Eu também estive na casa das Ratas. Olha cada vez há mais people de Pina Manique com vontade de falar, sobretudo da brasileira dos desfiles de moda...

Um abração do Zé Paulo

Tufas disse...

Olá Pedro,
Adorei o teu livro e tenho-te a dizer que, só há duas coisas na vida que detêm o passar dos anos em que "navegamos", nós pobres mortais:
- A memória
- A Arte
Acredito que perante o livro " A Dor Das Crianças Não Mente" tu ficarás imortal. O sucesso é doce, mas o seu segredo é amargo. E (não) só tu sabes quanto.
A Memória - é o sofrimento que viveste da infância à juventude...
A Arte - imortalizar-te-á pela grande coragem de denunciares (passares ao papiro), "tudo" o que te têm feito para te silenciarem.
Mostras, ainda, desta forma, que existem quatro coisas na vida que não se recuperam:
a pedra depois de atirada;
a ocasião depois de perdida;
a palavra depois de proferida;
e o tempo depois de ser vivido.
Obrigada por acreditares nos HERÓIS, as vítimas, que calaram na dor.
Obrigada por retratares no teu livro que, o maior perigo em causa (na humanidade - nossa sociedade), é a violência detida, concentrada e sistemática dos poderosos e bons... pedófilos compulsivos.
- Para quem a consciência é o melhor livro de moral e o que menos, por eles, é consultado.
Vai em frente AMIGO, não deixes que a tristeza do passado e o medo do futuro te estrague a alegria do presente.
Olha, para mim, a guerra e a morte, fazem-me redescobrir a vida. E, pior que nunca termos conseguido, é nem sequer termos tentado. Portanto Vale Sempre a Pena Lutar.
Lembra-te que para muitos (que sabem o preço de tudo... e o valor de nada) é fácil estar sentado a observar. Esses, pertencem à maioria, para quem o dia 1 de Abril, é o dia que lhes lembra o que são nos outros 364. O que é difícil e é o teu caso (que não sabes os preços de nada... mas sim o valor da vida) é levantar-se e agir.
Portanto, o fácil está feito
o difícil vai-se fazendo e o impossível vamos tentando...
Um beijo
Tufas

Maria da Conceição disse...

vale sempre a pena .Estou a gostar muito do seu livro,é muito emocionante quando fala da sua Mãe ,não o conheço pessoalmente mas tem estampado no seu rosto todo o sofrimento desse anos que passou na Casa Pia é o que me dá a perceber quando o vejo na televisão .E parabéns pelos filhos que tem são umas crianças lindissimas ,desejo-lhe tudo de bom .Um abraço