terça-feira, 20 de novembro de 2007

Para que acabem monstros como o pai da Sara

Recebi esta mensagem que urge divulgar. O vídeo que vamos visualizar foi premiado e divulgado internacionalmente. Infelizmente, não passou nas televisões portuguesas. Por que será? Antes, contudo, o poema da menina Sara:

O meu nome é "Sara"
Tenho 3 anos
Os meus olhos estão inchados,
Não consigo ver.

Eu devo ser estúpida,
Eu devo ser má,
O que mais poderia pôr o meu pai em tal estado?

Eu gostaria de ser melhor,
Gostaria de ser menos feia.
Então, talvez a minha mãe me viesse sempre dar miminhos.

Eu não posso falar,
Eu não posso fazer asneiras,
Senão fico trancada todo o dia.

Quando eu acordo estou sozinha,
A casa está escura,
Os meus pais não estão em casa.

Quando a minha mãe chega,
Eu tento ser amável,
Senão talvez leve
Uma chicotada à noite.

Não faças barulho!
Acabo de ouvir um carro,
O meu pai chega do bar do Carlos.

Ouço-o dizer palavrões.
Ele chama-me.
Eu aperto-me contra o muro.

Tento esconder-me dos seus olhos demoníacos.
Tenho tanto medo agora,
Começo a chorar.

Ele encontra-me a chorar,
e atira-me com palavras más,
e diz que é culpa minha, que ele sofra no trabalho.

Ele esbofeteia-me e bate-me,
E berra comigo ainda mais,
Eu liberto-me finalmente e corro até à porta.

Mas ele já a trancou.
Enrolo-me toda em bola,
Ele agarra em mim e lança-me contra o muro.

Eu caio no chão com os meus ossos quase partidos,
E o meu dia continua com horríveis
palavras...

"Eu lamento muito!", grito.
Mas já é tarde de mais.
O seu rosto tornou-se num ódio inimaginável.

O mal e as feridas mais e mais,
"Meu Deus por favor, tenha piedade!
Faça com que isto acabe, por favor!"

E finalmente ele pára, e vai para a porta.
Enquanto eu fico deitada,
Imóvel no chão.

O meu nome é Sara.
Tenho 3 anos,
Esta noite o meu pai *matou-me*.





12 comentários:

GR disse...

Chocante!
Comove, incomoda, revolta!
Infelizmente há muitas pequenas e infelizes Saras.
Que sirva de reflexão este texto e vídeo.
Conhecia o vídeo, mas o texto é mais doloroso!

GR

Maria disse...

Nem consigo comentar-te, Pedro...
Um abraço

Vasco disse...

Vale a Pena Relembrar!

ONU PODE SANCIONAR PORTUGAL

"De nada vale esconder os factos. Esconder as verdades que vão falar por si. De nada vale fechar os olhos e fingir que é mentira. O caso Casa Pia é um "crime contra a humanidade". Ideias defendidas por Homayra Sellier, presidente da Innocence in Danger, numa conversa com a SIC Online na qual fala do sofrimento das crianças, da ideia de impunidade por parte dos criminosos e do papel que o Governo português deve ter em relação a este assunto. A representante desta organização não governamental, criada em 1999 na sequência de um apelo da UNESCO para que fosse adoptado um plano de acção no combate a abusos sexuais a crianças, diz não ter dúvidas: "o Mundo está de olho em Portugal."".

LEIA A ENTREVISTA NA INTEGRA EM:

http://www2.dce.ua.pt/caipi/SIC%20ONLINE%20ONU%20pode%20sancionar%20Portugal.doc

Curiosa disse...

Petição pela Revisão dos Códigos Penal e do Processo Penal
Objecto da Petição:
Reabertura da discussão parlamentar, em sede de plenário, sobre algumas normas jurídico-penais, que se encontram vertidas no Código Penal e no Código Processual Penal, em defesa da Constituição, da lei e do interesse geral.

http://www.juizespelacidadania.eu/peticao.htm

Curiosa disse...

Os advogados de defesa dos arguidos no mega-processo requereram novas perícias às vítimas, ao que a juíza encarregue do caso acedeu.

Tendo por base as perícias já realizadas, a juíza a cargo da queixa de Paulo Pedroso considerou:
-» "[Exame pericial à personalidade de João A. revela] coerência e consistência das descrições, onde não se detectam erros grosseiros nem elementos que possam ser interpretados como factores de simulação ou de dissimulação e aparente autenticidade das emoções que acompanham os relatos, que lhe conferem a dimensão das experiências vividas. Temos assim que, no entender deste tribunal, e ponderados os elementos indiciários supra elencados, [estes] apontam mais para a não falsidade das declarações do que para a falsidade das mesmas.
e
-» Os arguidos foram sujeitos a perícias de personalidade, não sendo questionada pelos peritos eventual inconsistência ou incongruência dos depoimentos, nada tendo sido produzido que, de alguma forma, nos determine a concluir, suficientemente alicerçado em elementos probatórios, que as declarações havidas são falsas.
Sendo as declarações prestadas pelos arguidos reiteradas ao longo do processo Casa Pia e também nestes autos, e sendo prestadas de forma objectiva e contida dentro do âmbito do processo em apreço (...), constituindo mero relato de factos alegadamente vividos, não consideramos preenchido o tipo legal do crime de difamação.
http://www.correiomanha.pt/notic...idCanal=9& p=200


Não sou entendida em leis, mas não poderá a defesa das vítimas pegar nestas incongruências, mesmo sendo queixas/processos diferentes, para inviabilizar a repetição das perícias?

Não poderá agora João A. processar Paulo Pedroso, tendo em conta que no mega-processo quem processou foi o MP?

Recordo-me que a propósito da Participação Criminal de JMM sobre o percurso académico de JS, Cândida Almeida recorreu escutas (provas?) doutro processo (SIDES) para utilizar como prova da boa fé de JS. Daí pressupor que nestas circunstâncias também se possa requerer como meio de prova outras decisões judiciais.

Crixus disse...

A alienação capitalista torna possivel que Homens possam maltratar crianças, e até os proprios filhos. Aqueles que todos deveriamos proteger e amar, porque são, efectivamente, o melhor do mundo. O poema retrata bem o que pensa uma criança vitima de violencia (auto-incriminação, desilusão, desmoralização) alem de ser comovente. Um abraço

Burton disse...

Pedro,

doeu demais!

josé manangão disse...

Pedro
Podemos considerar esta aberração, como uma consequência do estado geral,desta sociedade em que vegetamos?
Isto é,mau de mais para ser verdade.
Um abraço
José manangão

ecosdablogosfera disse...

----> António Balbino Caldeira, escreveu: "A pena, dupla porque de pelo e grade, a voz, a ilustração, são as novas gadanhas: os blogues"

----> Tiago Carneiro, escreveu: "temos que juntar o pessoal dos blogues"
{Do Portugal Profundo}

----> Pedro Namora, escreveu: «unirmo-nos em torno do essencial: trabalhar para alargar a base de apoio que sistematicamente lembre aos canalhas que estamos cá»

----> commonsense, escreveu: «uma campanha, que vai ser sistemática e permanente, duradoura e incómoda»

E que tal, numa acção concertada, o maior número possível de blogues,
no mesmo dia (p.ex.25 de Dezembro)
editarem páginas iguais/semelhantes, tipo:
SR PRESIDENTE DA REPÚBLICA PORTUGUESA
PROF DR ANÍBAL CAVACO SILVA
----- AS CRIANÇAS À GUARDA DO ESTADO RECLAMAM OS DIREITOS QUE O ESTADO LHES RECONHECE MAS LHES TEM NEGADO -----

Alberta Manso disse...

Se até os animais selvagens partilham carinho e o demonstram no seio das suas famílias, porque é que uma criança, um ser humano, pode ser maltratada pelo(s) seu(s) progenitor(es)?

A Sara do poema personifica muitas situações que no Séc. XXI, já deviam ter passado à História.
Infelizmente assim não é!!!

Alberta Manso

Bolota disse...

Beijo de criança

O beijo duma criança
Sabe , sabe, sabe, bem
Sabe a vida, a inocência
E sem custar um vintém
Sabe a amor verdadeiro
Sabe ainda ao pai Natal
Sabe a filho
Sabe a neto
Sabe a um ser natural
Sabe a tudo
Gosto disso
Criança já fui também
O beijo duma criança
Sabe, sabe , sabe bem


Ago/04
Leandro

Mentiroso disse...

Em todo o mundo têm havido casos de pedofilia. Na antiguidade clássicas conhecemos o que se passava em Esparta para além do estado ser possuidor do cidadão desde os 7 anos de idade e de talvez ter sido a raiz do nazismo. A história menos antiga conta-nos os casos dos inúmeros turcos pedófilos que dominavam a Grécia, em que quase todos os turcos importantes tinham um «protegido» grego em casa, o qual era muito bem tratado e até frequentemente invejado pelos outros gregos. Costumes da época.

Todavia, o que não abunda assim no mundo são as histórias do que se passa em Portugal. Muito para além de crime de pedofilia, os «nossos caros compatriotas» pedófilos não se contentam com o seu crime hediondo mas mais comum. Mil vezes mais selvagens que os turcos de então, ainda escravizam as crianças de quem se aproveitam, fazem-lhes a vida negra com as mais diversas formas de perversidade. Os familiares são frequentemente aqueles que mais maltratam as crianças.

Haverá, em todo o mundo animal, algum mais hediondo do que os portugueses, que assim tratam os seus familiares, na maioria das vezes os próprios filhos?

Haverá outro país em que governo e justiça defenda predadores pedófilos contra as crianças, suas presas?

Nos outros países conhece-se, tal como se conhecem tantas outras coisas que os portugueses ignoram pela sistemática desinformação duma jornaleirada imunda. Tudo se conhece: corrupção, como funcionam as instituições, a justiça e a polícia, a inexistência de democtacia, a mentalidade atrofiada da população, devido principalmente à citada desinformação e conluio com os políticos, etc. Os portugueses escondem a cabeça na areia formada por um orgulho completamente descabido a que alcunham de auto-estima. Se não vêem os seus erros, como corrigi-los? Até quando durará isto, perguntam-se alguns. Resposta fácil: até que vejam o estado de atraso em que estão +ara que o possam corrigir. Sem que a população domine as oligarquias políticas, que estas lhe prestem contas e as mantenha à rédea curta, nada mudará. Isso da democracia representativa é muito bonito, só que só funciona com políticos honestos ou sob estreita vigilância.