quarta-feira, 18 de maio de 2005

Abusadores sexuais


"As pesquisas mais recentes vieram confirmar aquilo que os primeiros investigadores descobriram. O Dr. Gene Abel, juntamente com um grupo de colegas, conduziram uma série de estudos sobre delitos sexuais em finais da década de 80, em que era pedido aos criminosos que, de forma voluntária, dissessem quantos crimes sexuais tinham praticado no total. Os resultados deixaram os profissionais da comunidade estupefactos. Duzentos e trinta e dois molestadores de menores admitiram terem tentado praticar mais de 55 mil actos de abuso sexual; alegaram terem sido bem sucedidos em 38 mil destes incidentes que abrangiam um total de 17 mil vítimas. Tudo isto vindo de apenas 232 indivíduos. Os molestadores de crianças de sexo feminino que não viviam com eles contavam uma média de vinte vítimas cada. Embora fossem em número mais reduzido, aqueles que abusavam de crianças do sexo masculino que não habitavam na mesma casa eram ainda mais activos, com cerca de 150 vítimas cada.

Não obstante estes números impressionantes, a maioria destes criminosos nunca foi denunciada. Na verdade, Abel calculou que as possibilidades de um criminoso sexual ser apanhado era de três por cento. Ao que parece, o crime compensa, e o crime sexual parece compensar particularmente bem.

Mas como ter a certeza de que estes indivíduos não estão a mentir? Infelizmente a investigação relativa às vitimas confirma as suas declarações. Num estudo clássico relativo às mulheres adultas da população em geral, a Dra. Diana Russel descobriu – e a pesquisa do Dr. Gail Wyatt veio confirmar – que as taxas de abuso sexual de menores são extraordinariamente elevadas. Vinte e oito por cento das mulheres que constituíam a amostra de Russel tinham sido molestadas na infância aos catorze anos, 38% se incluirmos a faixa entre os 14 e os 17 anos de idade. Tratava-se apenas de abusos com contacto físico – o exibicionismo não foi incluído – e foi também deixado de fora o contacto sexual não violento entre pares. Não obstante, apenas 5% dos abusos sexuais contra crianças reveladas a estes investigadores tinham sido denunciados às autoridades. Os números relativos aos casos masculinos mostram-nos taxas mais baixas mas ainda assim alarmantes. Embora os pedófilos que se inclinam para o sexo masculino sejam extremamente activos, são mais raros que os que molestam meninas. Não obstante, é provável que entre 9 e 16 por cento dos rapazes nos Estados Unidos sejam molestados antes de atingirem a idade adulta."
Anna C. Salter

1 comentário:

GR disse...

Juro que o irei ler!

Comprei o livro "Abusadores sexuais",talvez ano passado.
Comecei a ler. Voltei a reler, as primeiras folhas. Fechei-o, abri-o.
Fechei-o!
Os factos reais relatados, fizeram-me; medo, dor, revolta.
Fechei-o!
Sei onde "ele" está, espreito, mas não o abro.
A cobardia às vezes também me acompanha.

GR