quarta-feira, 5 de abril de 2006

Morreu Provedor-adjunto Artur Ferreira

Tinha cessado funções na Casa Pia de Lisboa, recentemente. Acompanhou Catalina Pestana durante os últimos três anos, com ela sofrendo a dor profunda dos meninos maltratados. Sofreu mesmo muito, como tantas vezes me confidenciou. Trabalhou rodeado de abjectas criaturas, que a todo o tempo tentaram restaurar a velha ordem que engordava os pedófilos. Seres desprezíveis que tudo fizeram para boicotar a sua acção pedagógica, o seu labor entusiástico, a sua crença numa Casa Pia melhor ao serviço dos meninos pobres deste país.
O seu coração de Homem-bom não resistiu e nós, os alunos e ex-alunos da Casa Pia de Lisboa - mas também Portugal -perdemos uma fortaleza inexpugnável, contra a iniquidade e a injustiça.
Ainda na década de 80, foi uma das poucas pessoas que ousou ajudar o mestre Américo, posicionando-se corajosamente do lado dos alunos, contra os pedófilos e cúmplices. Lutou por nós, quando muitos, quase todos, preferiram fingir que não viam a barbárie.
Em nome dos ex-alunos que tanto apoiou, endereço à família enlutada sentidas condolências. E porque sei que esse era o desejo do emérito professor, solto um grito forte, determinado: A LUTA CONTINUA, PROFESSOR!

1 comentário:

GR disse...

A vida é feita de duros golpes!
Que o exemplo do Professor, seja seguido e reforçado!

Um beijo sentido,

GR