terça-feira, 27 de março de 2007

Contra o fascismo!

O fascismo não morrreu em Abril de 1974. Cobarde, escondeu-se sob espesso e conivente manto. O poeta ainda alertou para a ilusão dos cravos vermelhos ao peito dos sacanas de ocasião, mas não lhe deram ouvidos.
No dia exacto em que se fez a Revolução, começou a marcha para a destruir. Spínola rapidamente se rodeou de gente fiel. Ao lado de fascistas conhecidos, marcaram presença, entre outros, Soares e Alegre. Posteriormente, a este duo juntou-se Carlucci. Juntos, escreveram páginas tenebrosas contra Portugal e não há poesia que as apague. Se não repetiram a tragédia chilena, sabe-se hoje, foi porque um partido heróico, o PCP, mobilizou o povo contra o fascismo. Seria curioso analisar quem amnistiou os fascistas que por todo o país, sobretudo nos centros de trabalho do PCP, colocaram bombas e mataram pessoas.
Ao longo destes anos, tudo o que de mais retrógrado foi feito contra os portugueses tem a assinatura de soares, alegre e Cia. Por isso, não admira que na noite em que o bandido foi entronizado, um palerma chamado josé manuel barroso, ele mesmo um golpista, tivesse optado por atacar cobardemente Álvaro Cunhal.

2 comentários:

Maria disse...

Pedro

É gente que nem merece ser mencionada neste blog. Nem em nenhum blog que eu e tu provavelmente visitamos.
É gente cujos nomes emporcalham os blogues.
Infelizmente é verdade tudo o que dizes. Infelizmente a memória é curta.
Por isso, é preciso Não Apagar a Memória!
Por isso, Vale a pena Lutar!.

Um abraço

GR disse...

O fascismo não morreu e os fascistas mantiveram os lugares de destaque que ocupavam. Juízes, professores, polícias, padres, a maioria destes profissionais conservaram os seus lugares, depois da Revolução.
Os Pides. Esses durante algum tempo estiveram calados, até ao dia que o governo de Mário Soares lhes deu “pensões vitalícias pelos serviços prestados”!!!
O governo PS e todos os militantes PS’s corroboraram.
Mário Soares, com o apoio dos militantes PS, e da UGT, matou jovens de Abril.
Em 75, nos assaltos aos Centros de Trabalho do PCP e MDP, em 78 (?) no Porto na passagem do dia 30 de Abril para 1 de Maio Dia do Trabalhador, tombou assassinado um jovem (em S.Bento), baleado pela polícia. Dezenas de militantes comunistas e sindicalistas da CGTP foram, presos e espancados.
Mário Soares, é o maior traidor da Revolução de Abril.
Traiu a Constituição da República, os trabalhadores e todos os Resistentes que lutaram e morreram pela Liberdade!

Não vi o programa!
A sujeita que o apresentou mete-me nojo. Por acaso já me meteu nojo, quando de uma forma não esclarecedora foi para Londres. Esta serviçal trouxe litros de vontade de lixívia e reconhecidamente logo ajudou a branquear. Agradeceu bem o favor!
Também não aguento ver velhos dengosos de caracóis, duvidosos escritores, agarrarem-se a figuras sinistras de “simpáticas” Marias, para que algum foco de luz incida sobre eles, nem que para isso tenham que inventar infâmias sobre, Heróis da Liberdade.
Li o teu magnífico post! Confirmo não estar arrependida, por não ter ligado o televisor.

GR