segunda-feira, 25 de julho de 2005

Carlucci a mandatário, já!



Andava o país preocupado com o aumento dos impostos e do desemprego, revoltado contra a inépcia que todos os anos permite que o fogo nos roube riqueza e vida; indignado por agora pretenderem privatizar até a água, quando sua eminência decidiu que era chegado o momento. Primeiro decretou-se a inadmissibilidade de inexistência de candidatos presidenciais, como se fosse peste a erradicar. Depois apresentou-se Cavaco como antecipado vencedor, a não ser...
Telefonaram a D. Sebastião, insistiram por telegrama, mas este reunido com D. Duarte e farto do conto do vigário mandou-os bugiar.
"Só ganhamos à direita se Soares decidir prestar esse serviço à pátria", repetiram dia e noite os amigos e achegados, habituados a invocar as diferenças quando lhes dá jeito. A Soares coube então fazer-se desentendido, difícil, de molde a dar à nação a ideia de que se avançasse seria motivado pelo sacríficio em prol da pátria. Sócrates não tardou a estender-lhe o tapete, em mais uma demonstração sublime de quem manda em Portugal.
Por mim, aproveito para, de borla, ofertar uma sugestão aos promotores da candidatura: atento o percurso político de Soares, convidem para mandatário nacional o seu "bon ami" Frank Carlucci. Não há discurso ou biografia política que melhor definam o homem e a obra.

7 comentários:

GR disse...

O Povo português pode ter memória curta, mas só se esquece do que quer!

Mário Soares
Há situações que são inesquecíveis, além de muitas outras coisas, Soares demonstrou ser anti democrata! Jamais esquecerei, (apesar de não precisar o ano!) foi que ele lutou contra tudo e todos, para que Álvaro Cunhal não recebesse a Ordem da Liberdade, pois não merecia tal condecoração!
Daí, ter pedido para ser entregue a Frank Carlucci, o ex-director da CIA, um anticomunista, antidemocrata, numa só palavra, Frank Carlucci, foi e é, um TERRORISTA!
Como se deve chamar, a quem é amigo de um terroristas?

GR

Anónimo disse...

Agora, o que é preciso é um candidato de ESQUERDA. Porque a DIREITA já tem os seus: Mário e Aníbal...

GR disse...

Alte Pinho,

Estou totalmente de acordo consigo.

Então, porque estamos só a falar destes dois?

E o candidato que irá aparecer da Esquerda?
Não é da esquerda de aviário!
Haja os votos que houver!
Se formos a uma segunda volta! É muito simples, “desta vez” a minha consciência irá dizer-me que votarei em branco!
Não tenho estômago para sapos, nem raposas!

E quem tiver dúvidas vá até, http://combate.blogspot.com, que explica muito bem quem é e os amigos que tem, o dito sapo!

Um abraço,
GR

GR disse...

Ops!!!
Desculpe!
A morada não é esta!

GR

Sérgio Ribeiro disse...

Caro(a?) GR,
Leste o meu comentário no post Mafia?
Gostaria muito que o fizesses e me visitasses no blog somdatinta da Som da Tinta (claro!).
Lá te espero.

J.A. disse...

A ler com urgência- A Verdade e a Mentira na Revolução de Abril- de Álvaro Cunhal de Edições Avante

GR disse...

Sempre actual, “A Verdade e a Mentira na Revolução de Abril” de Álvaro Cunhal.

Desfolhando, releio-o e paro «INDIGNAÇÃO POPULAR ESPONTÂNEA». pag.199

Um episodio que os portugueses de esquerda e os comunistas, no Norte do país, não esquecem! Foram os actos terroristas do MDLP, do ELP e do Maria da Fonte, tendo como inspirador e chefe, o Spínola. Mas Spínola, não está sozinho, Alpoim Calvão, Paradela de Abreu, Barbieri Cardoso-ex-director da PIDE, Ferreira Torres, padres, sempre a igreja e sempre a mão do cónego Melo, de Braga, Carlucci e claro Mário Soares (clandestinamente),fizeram a contra-revolução!
Foi uma época onde a Revolução, estava ao rubro!

1975 - Assaltos, bombas,atentados, agressões,insultos, era o Verão Quente de 75!

Era pedido aos comunistas,para não responderem a provocações! Cabeça levantada e seguir em frente! Na rua, os insultos eram deploráveis, empurravam-nos, tombávamos, cuspiam-nos, tudo valia! Nós, seguíamos em frente! Depois as agressões, começaram a ser mais violentas, apontavam-nos caçadeiras, com canos cerrados, bem perto de nós, os Centros de Trabalho do PCP, começaram a ser incendiados, e colocadas bombas! Tempos difíceis, mas nunca desistimos! Construímos novos C.T., e continuávamos a luta diária, distribuição de comunicados, bancas de livros, muitas vezes destruídas.
Em Braga, como é relatado no livro, MATARAM jovens comunistas!
Era uma época em que andávamos com o emblema do PCP, não havia medo!

Penso que todos nós(desse período) têm uma história para contar!

Carlucci, o amigo de Mário Soares, disse:
« ...foi quando o povo do Norte começou a resistir à influência do Partido Comunista que teve início a reviravolta», «Um bom exemplo de como o povo pode influenciar o processo histórico (...) foi espontâneo, ninguém esteve por detrás»
Entrevista ao Expresso 06-08-94

Mário Soares, em várias entrevista disse:
«...foram reacções espontâneas de massas populares em fúria, contra a comunização»
«... A indignação popular genuína (...) pairava no ar»
«... isso não foi o que se chama organizado, foi algo que rebentou»
Entrevistas de 1994

“A Verdade da Mentira na Revolução de Abril” de Álvaro Cunhal. Revela-nos as confissões da contra-revolução! Um livro histórico e necessário!

Parabéns J.A,
Melhor livro não podia indicar!

GR