domingo, 17 de setembro de 2006

Catarina Eufémia


O primeiro tema de reflexão grega é a justiça
E eu penso nesse instante em que ficaste exposta
Estavas grávida porém não recuaste
Porque a tua lição é esta: fazer frente

Pois não deste homem por ti
E não ficaste em casa a cozinhar intrigas
Segundo o antiquíssimo método oblíquo das mulheres
Nem usaste de manobra ou de calúnia
E não serviste apenas para chorar os mortos

Tinha chegado o tempo
Em que era preciso que alguém não recuasse
E a terra bebeu um sangue duas vezes puro

Porque eras a mulher e não somente a fêmea
Eras a inocência frontal que não recua
Antígona poisou a sua mão sobre o teu ombro
[no instante em que morreste
E a busca da justiça continua



Sophia de Mello Breyner Andresen

6 comentários:

GR disse...

A jovem ceifeira assassinada no dia 19 de Maio de 1954, com tiros de metralhadora pela G.N.R. tinha 28 anos, um filho nos braços que ficou ferido quando a mãe caiu já morta, outros dois ainda pequenos e um no ventre, quase em vésperas de nascer.
Catarina e as suas companheiras reivindicavam melhores salários. Ganhavam 12$00, Catarina a mais decidida, esclarecida e corajosa, militante comunista desde 1953, pediu um aumento para si e as sua companheira de $50, dizendo:” Nós temos fome, queremos pão para os nossos filhos!”, “Nós temos fome e queremos Paz!”
Mataram-na, assassinaram-na, com um filho no colo e outro no ventre!
O fascismo não admitiu tal reivindicação!
Catarina foi assassinada, por exigia melhor salário, porque lutava por uma sociedade mais justa, porque queria o fim da exploração!

Catarina, não morreu em vão! Fortaleceu a luta e as consciências!
Ainda hoje Catarina Eufémia, continua a ser um exemplo de Luta!
Hoje, mais do que nunca temos que nos inspirar neste exemplo, devido ao retrocesso Revolucionário.
Viva Catarina Eufémia!

Belíssimo poema!

GR

Riky Martin disse...

Ainda ha poucos dias, falava com um camarda nossos sobre a necessidade que existe e recuperarmos a memoria e construirmos uma iconogafia de martires. Como martires da nossa luta, temos em primeiro plano a Catarina Eufémia, depos numa outra linha de reconhecimento publico temos o Militão Ribeiro que tal como o Bento Gonçalves não sai para lá das fileiras do Partido.
É verdade que o nosso partido nunca fez cultos de personalidade e sempre esteve muito mais virado para o futuro do que para o passado...
Temos que perder o perconceito em relação ao marketing politico. O Che, depois de morto continua a ser um contributo para todos os movimentos revolucionarios latino-americanos. E nós tambem temos os nossos "Che's". Na revolta dos marinheiros, nas lutas operarias, na maquina clandestina, durante a guerra colonial, quantos comunistas não foram assassinados pelo fascismo enquanto lutavam pela nossa causa?? Algumas dezenas. Vamos por esses camaradas de novo na batalha. É essa a melhor forma de os homenagear.

Pedro Namora disse...

Acho que não precisamos de construir a tal iconografia de mártires. Julgo que aprofundarmos o conhecimento da história do nosso glorioso partido e lutarmos para que seja divulgada de forma séria, associando-a à luta presente e futura, conseguirá os mesmos objectivos.
Para mim é impossível falar de Liberdade sem recordar o contributo inigualável dos milhares de honrados militantes comunistas que deram tudo pelo povo, de forma desinteressada. Antes e depois de Abril. Porque não podemos esquecer que na democracia berlusconiana em que vivemos, milhares de militantes do PCP continuam a ser, actualmente, perseguidos, ameaçados, agredidos, preteridos nas respectivas carreiras profissionais, despedidos. E no entanto, resistem, corajosos, firmes, coerentes, empunhando a bandeira, a mesmíssima rubra bandeira que o Álvaro, o Francisco Miguel, o Militão; o Dias Lourenço; o Joaquim Gomes; o Octávio Pato; o Sérgio Ribeiro; o João Camilo; o Casanova, O Pires Jorge; a Catarina Eufémia; a Alda Nogueira - e tantos , tantos, que podia continuar a noite inteira sem acabarem os nomes de que tanto me orgulho - nos legaram.
Somos um grande Partido. E os que de forma demencial nos atacam - se existiam pides aos milhares, bufos e afins, imagine-se a descendência que não terão espalhado - repetem hoje os argumentos que Salazar utilizou para nos perseguir. Sem uma pinga de vergonha.
E não há nada que mais os descontrole do que perceberem que estamos aqui: confiantes e reiterando a cada instante que o nosso objectivo é a luta pelo Socialismo e pelo Comunismo. Viva O PCP!

GR disse...

Não estando relacionado com o post, ou estará?
Um anúncio muito bem feito, premiado Internacionalmente, sobre a Criança vítima de maus-tratos. Seria belíssimo, não fosse a forte e chocante mensagem.

Anúncio feito em Portugal, premiado internacionalmente, mas não divulgado!
http://www.ad-awards.com/commercials/selection/institute_for_support_of_abused_children/commercials-218.html

GR

Dijambura disse...

A história e luta do partido engloba o respeito pela luta de todos os homens e mulheres que se sacrificaram por uma sociedade mais justa... esses camaradas continuam na batalha e na força do nosso partido, nem me parece que esses homens e mulheres quisessem ser encaradas como figuras particularizadas de marketing politico... mas sim como pessoas que em colectivo lutaram por uma sociedade melhor!! O seu papel para mim é fundamental e contribui largamente para a continuação do projecto!

zemanel disse...

Camarada Pedro, tens razão
eles andam nervosos
descontrolados
!!!!!
Sabem que continuamos aqui.
Cada pequeno contributo nosso, enfurece-os!
Ah, camarada, se eu pudesse dar mais um pouco de mim à NOSSA BANDEIRA!!!!!