quinta-feira, 22 de fevereiro de 2007

Assim não!

Depois da entrevista que concedeu ontem à RTP, Fernando José Matos Pinto Monteiro, o novo Procurador-Geral da República não necessita de mais apresentações. Convidado para a função por José Sócrates, o magistrado esmerou-se em retribuir o convite e , por ele, não há quem belisque o governo.
Tivesse Souto Moura ousado dizer apenas um décimo do que disse ontem Pinto Monteiro e as vestais cronistas socialistas, com o cata-vento Eduardo Prado Coelho à cabeça, não cessariam de exigir a respectiva demissão.
Assim, ficaram-se pela esperada conclusão: temos homem!
Finda a entrevista fiquei sem saber, contudo, em que qualidade se expressou Pinto Monteiro: como ministro socialista da Justiça? Conselheiro de José Sócrates? Relações Públicas do governo?
Portugal está algemado e sob guarda da maioria
rosa. Quem governa o Banco de Portugal? Quem preside ao Tribunal de Contas? De quem depende a Polícia Judiciária? Quem dirige os serviços secretos? Quem manda no Tribunal Constitucional?
Resta-nos o único consolo: ditadura, sem dúvida! Mas democrática.

2 comentários:

GR disse...

Não vi a entrevista, li alguns comentários nos jornais.
Penso não ter perdido uma grande entrevista, li também que as perguntas foram enviadas por escrito.
Absteve-se de comentar vários processos, excepto o “Apito Dourado” diz que é informado com regularidade sobre o processo Apito Dourado, esperando que os processos estejam terminados até Julho!
Eu com alguma esperança que este novo PGR, impulsionasse o processo Casa Pia!
O lema de Sócrates é,
“Muita democracia! Mas, quem manda aqui sou eu!”
Daí todos falarem pela mesma bitola!

GR

Funes, o memorioso disse...

Era difícil Eduardo Prado Coelho ter comentado publicamente o que quer que fosse.
Ao que parece, agoniza numa cama de hospital.