quarta-feira, 3 de janeiro de 2007

Descaramento

Num destes dias, o inferno instalou-se nas Urgências do Hospital de Santa Maria: Centenas de pessoas acometidas de doença súbita tiveram que aguardar horas por um atendimento adequado. Este cenário é hoje habitual nos hospitais portugueses em consequência da política neoliberal de um governo que persiste em denominar-se socialista mas está empenhado em destruir as funções sociais do Estado.
Interpelado pela comunicação social, o ministro fez saber o que já suspeitávamos. Quando pensou nas mudanças que ocasionaram esta trapalhada, já sabia que as mesmas só teriam resultados daqui a alguns anos. Talvez quando ele já não for ministro ...
Entretanto vai agindo com um objectivo evidente: mostrar à população que o privado é que é bom.
Este Correia de Campos, dilecto defensor da "Escola de Chicago", poderia ser perfeitamente, fossem outros os tempos, ministro de Pinochet. Ou de qualquer outro esbirro. Nisto reside a característica fundamental destes liberais travestidos de "esquerda moderna".

2 comentários:

GR disse...

Correia de Campos - MINISTRO DA DOENÇA!
Desumano, cínico, chauvinista, fascista nojento, MENTIROSO!
Tenta fazer dos médicos, dos doentes, do cidadão em geral, um bando de acéfalos!
O cretino nunca entrou porque tem medo, numa Urgência Hospitalar.
Deparava-se com um amontoado de seres, pois alguns já pouco têm de humanos!
Doentes adultos sujos de urina, fezes, vomitado, suor. Familiares impotentes implorando uma entrada rápida na urgência, uma fralda, um copo de água! Bastava um olhar de um médico, enfermeiro! Cresce a raiva, juntamente com os uivos de dor de cada doente. É a dor do apêndice, a perna partida, o coração que teima em parar desta porca de vida, é o doente oncológico inchado gritando de dores, causadas por um dreno obstruído. É o velho sozinho que não aguenta a dor!
Os gritos constantes quase irritantes, do bebé que se contorce ao colo da mãe que chora, por nada poder fazer. Berros indignados dos bombeiros que querem a maca que lhes pertence, médicos cansados, enfermeiros exaustos. A raiva cresce!
Já não há horas! Passaram 5, 8, 12 horas? A fome, a sede, os odores, os gritos de dor!
NÂO! O covarde ministro da doença, isto não me pode negar!
Eu vi, assisti! Fui, sou parte deste inferno dantesco.
Tudo isto para que os doentes comecem a ir para a privada, antes até, de todas as Unidades de Saúde se privatizarem!
Quem tem dinheiro para ir aos Hospitais privados?
Quem beneficia com este sistema?
O Grupo Melo, Grupo Espírito Santo, Grupo Amorim!
Beneficia o capitalismo, outrora, Salazarista!
O doente? Esse,morre!

Quando Cavaco e toda a direita quiserem terminar com toda esta dolorosa farsa, o país irá novamente a votos.
Irreversivelmente!
Desacreditados os portugueses (de memória curta), não mais votarão na esquerda (!), esquecendo que o PS é de direita, direita nazi, direita vendida ao grande capital!
O PSD (poderá não ter esta sigla, pouco importa), a verdadeira direita, irá ganhar!
Perpetuando o poder, anos e anos! Até quando? Como?
Pondo fim à Democracia!
Esse bando de PS nazis tresloucados estará; na Tailândia, no Brasil, outros na Holanda, outros ainda passando férias com Le Pen, alguns no Chile homenageando o túmulo do Pinochet, quiçá!!!

A Democracia está por um fio!
Ainda há tempo!
Lutando podemos conquistar, um dos bens mais preciosos de Abril!

GR

red disse...

Na conferência de imprensa e perante o jornalista da TVI este MINISTRO DOENTE deu a demonstração plena da politica deste governo, mentiras e mais mentiras, foi delirante ver-lo tentar esconder o que estava à vista, que as urgências estavam um caos. Até quando é que temos que aguentar estes impostores??? A LUTA CONTINUA!