terça-feira, 3 de julho de 2007

Ne me quitte pas

3 comentários:

GR disse...

Muito jovem habituei-me a ouvi Jacques Brel.
Num tempo distante, quando voz e a letra era o mais importante.

“Ne me quitte pas”
O poema é lindo, a voz única!
Há uma súplica sentida, dolorosa, em cada palavra.
Comovente!
Adoro esta canção!

GR

Maria disse...

É eterno, o Jacques Brel.

Obrigada por estes momentos, Pedro.

Ni disse...

Pedro

Que emoção ouvir estas palavras, esta voz, esta música! Que emoção sabê-lo absolvido, e ter a certeza que isso não significa que baixou a guarda!
"Ne nous quitte pas, Pedro"...contamos com pessoas como você para repôr a verdade e a justiça que merecemos! Parabéns.