quinta-feira, 6 de novembro de 2008

Adeus amiga

A minha amiga morreu hoje. Há cerca de 10 meses que padecia de uma doença rara: uma forma de tristeza filha do desencanto, que nada nem ninguém podia minorar. Dos seus olhos vazios, dos seus lábios doridos, das suas mãos inermes, do seu corpo cansado, nada resta agora. Apenas esta dor imensa que persiste em manter viva a sua ausência insuportável.
A minha amiga morreu hoje e eu, sem saber o que fazer, refugiei-me aqui, no choro inútil de tentar preencher o negro da sua ausência. A vida tem que continuar, eu sei. Mas agora não me apetece. Nem falar, nem pensar, nada.
O que havia para dizer, não lho pude dizer. O que havia para sentir, já não posso partilhar. O que havia para fazer já não serve de nada. Porque na verdade, sem a minha amiga nada vale a pena. Se perder alguém que se ama é assim, dói muito, muito mais do que julgava suportável. Olho-me e não me reconheço. Não sei do meu rosto, não sinto as minhas mãos. E fora do espaço onde me abrigo , se existe algo é o abismo.
A minha amiga morreu. E não fossem os amigos que me restam, corria no seu encalço até ao fim.

10 comentários:

Maria disse...

Abraço-te, apenas
(porque não tenho palavras)

Sérgio Ribeiro disse...

Um grande abraço,
solidário, amigo

lurdes disse...

Força e um grande abraço, sem mais palavras, pois nestas situações nao ha palavras que possam atenuar a dor.

O Viriato disse...

Missiva de condolência e respeito

GR disse...

Um grande bj solidário e cheio de Amizade,

Gr

Dijambura disse...

Outro abraço solidário!!

Maria disse...

Voltei para te dizer, hoje, que já tenho algumas palavras, que dói muito perder quem se ama. Mas que a dor que nos parece insuportável vai atenuando, com o tempo, embora seja preciso muito tempo. O ser humano aguenta coisas que eu também não sabia ser capaz. Mas é. Também eu pensei noutros momentos que nada fazia sentido e nada valia a pena. Mas vale. Também eu me socorri dos meus amigos para continuar. Quando o que eu queria era acabar.
Mas vale a pena, Pedro. Vale a pena tudo, e vale a pena estar vivo.
Para continuarmos todas as lutas das nossas vidas. As nossas, mais íntimas, e as nossas, de todos, as lutas que são a nossa luta!

Deixo-te outro abraço, esperando que o sintas, apertado.

Bolota disse...

Sem saber que é a sua amiga, nem isso é importante, importante é ser simplesmente sua amiga, amiga que para merecer esta suas palavras, só pode ser amiga

um abraço solidario

Anónimo disse...

Levanta-te, amigo, porque a luta é o caminho!
rui silva

Alda disse...

Olá!

Tocou-me muito este post!
Quero deixar um abraço solidário.


Nota
Desde Agosto de 2006 que leio o seu blog, e está nos linkes do meu, desde essa altura.
Hoje, não resisti a deixar este coment. Desculpe!
Alda